Para Refletir

Os anos vão passando e a gente vai ficando…

typewriter-801921_960_720

Esse post é sobre uma breve reflexão sobre várias coisas que eu sempre ouvi dizer que ficaria com o tempo, mas que nunca dei a menor bola. No entanto, elas vem acontecendo notoriamente e inegavelmente.

Vou explicar melhor! A vida inteira escutei – principalmente a minha mãe – falando: “quando você chegar na minha idade você vai ver se também não vai agir como eu e aí você me fala se é ou não é verdade”. E ela sempre me falou isso sobre tudo, sobre a mudança do corpo, diminuição do metabolismo, gosto para roupas, estilo de músicas, paladar para comida, conforto dos lugares, disposição para sair, entre milhares de outras coisas e eu, é claro, nunca dei muitos ouvidos a essa coisa de “a medida que o tempo passa” achando que comigo ia ser diferente.

Acontece que agora que cheguei a era Balzaquiana, afirmo com propriedade que os anos vão passando e a gente vai ficando cismado com um monte de coisas que não éramos antes. Pra começar, ficamos preocupados com tudo, diria que quase medrosos e essa é a parte mais engraçada. Começamos a ter preocupações com coisas que antes não tínhamos, como assaltos, resultados de exames de sangue, pegar chuva e depois gripar, nos preocupamos mais com nossa alimentação, a origem dos alimentos que consumimos e mais um monte de coisas.

roller-skates-381216_960_720

Outra coisa que percebi que passei a ficar com o passar dos anos foi mais organizada. Sempre fui meio bagunceira com as minhas coisas e tinha preguiça de guardar de volta tudo que tirava do lugar. Agora se vejo bagunça em qualquer parte da casa que seja, eu já fico incomodada, vou logo guardando tudo, lavando as louças que estão sujas, colocando roupa na máquina e organizando até as almofadas da sala pra deixar tudo no seu devido lugar.

Usar salto alto ou sapatos nada confortáveis? Preguiça total se não for mesmo necessário. Antigamente eu usava salto alto pra tudo, agora eu uso só pra sair a noite ou quando a roupa pede e não vou andar muito. Parece que fui enjoando do glamour e prezando pelo conforto também.

Sair a noite pra pegar uma balada ao invés de ir jantar ou tomar um vinhozinho em casa enquanto assiste um filme é a coisa mais rara de todas. Há alguns anos atrás eu não recusava uma balada por nada, hoje em dia isso se tornou coisa esporádica, já que a correria e as responsabilidades do dia a dia me deixa tão cansada.

Enfim, são coisas que a medida que o tempo vai passando a gente vai modificando os gostos, as vontades e a disposição. Por tempos fiquei pensando se era só comigo que acontecia isso, mas vejo que minhas amigas comentam as mesmas coisas e que é normal, inclusive, pensarmos que seríamos diferentes e não nos darmos conta de quanto mudadas estamos.

Me contem, acontecem com vocês também? Vocês vão ficando do jeito que nunca se imaginaram antes?

Beijos e beijos, Carolina.

Anúncios

3 comentários em “Os anos vão passando e a gente vai ficando…

  1. Tenho percebido a mesma coisa…
    Atualmente, prefiro mil vezes um filme com pipoca debaixo das cobertas que uma balada animadíssima…
    Sempre tapei os ouvidos para os conselhos da minha mãe, mas a verdade é que essa fase chega, para uns mais cedo, para outros mais tarde…
    Seria a maturidade?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s